A princípio, para que um negócio cresça e evolua de forma sustentável, a separação entre o patrimônio da empresa e o patrimônio pessoal é essencial.

Entretanto, quando o contrário acontece, o desempenho da empresa estará comprometido em um futuro bem próximo.

Patrimônio da empresa e pessoal: por que separar?

É muito comum que algumas pequenas empresas surjam a partir da reserva pessoal do empreendedor que deseja abrir o próprio negócio. No entanto, essa prática deve ser combatida logo que seja constatado que a empresa já pode caminhar com as próprias pernas.

Quando não há separação do patrimônio da empresa e do pessoal, existe a possibilidade de uma das partes sair perdendo e a empresa que sofrerá as consequências.

Mas, diante da necessidade de capital de giro, por exemplo, para realizar investimentos ou cobrir dívidas, não possuir uma reserva pode significar o fim do negócio.

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), muitas empresas decretam falência antes dos primeiros 5 anos de vida.

Como dividir as finanças da empresa e as finanças pessoais?

Conheça agora algumas dicas do que fazer ou não fazer para realizar a separação do patrimônio da empresa e do pessoal e não colocar o seu negócio em risco.

Usar equipamentos empresariais apenas para uso da organização

É importante não cair na tentação de usar o carro da empresa, telefone ou equipamentos de informática para realizar tarefas pessoais. Tudo causa um desgaste que deve gerar um prejuízo futuramente.

Tenha contas bancárias distintas

Fazer essa separação entre contas bancárias é essencial para um controle maior e mais correto das finanças pessoais e empresariais.

Um gasto que parece ser pequeno como o pagamento de uma conta pessoal, pode se tornar corriqueiro e interferir no orçamento empresarial.

Não usufruir de empréstimos empresariais para cobrir despesas pessoais

Mas, ao adquirir um empréstimo para investir na empresa, evite usar esse dinheiro para quitar dívidas pessoais. Sendo assim, use o dinheiro para fazer o que realmente é necessário: fazer a empresa crescer.

Defina um valor para pró-labore

Contudo, é imprescindível que cada um dos sócios tenha o seu pró-labore no final do mês e que o valor seja acordado entre todos os interessados, pois definir um ganho mensal é uma maneira de estimular a participação de toda a equipe e evitar que o lucro da empresa seja comprometido.

Fazer uma boa gestão do fluxo de caixa

Sendo assim, saber de forma clara e precisa qual é a real situação do fluxo de caixa é imprescindível para garantir uma gestão financeira saudável.

No entanto, conhecer receitas e despesas, prazos, necessidades de cortes e de investimentos, além de saber como estará a empresa daqui a alguns meses, é de suma importância para se antecipar aos acontecimentos, evitar surpresas desagradáveis e desestimular o uso do dinheiro do caixa para despesas pessoais.

Muitas vezes, os gestores se confundem em vários aspectos com a própria organização que gerencia.

Portanto, quando falamos de finanças é fundamental que haja uma separação do patrimônio da empresa do patrimônio pessoal para tentar garantir o crescimento do negócio. Em suma, uma boa gestão financeira é imprescindível e deve sempre ser um objetivo a ser alcançado.

Grupo R&NV