Entre os fatores que envolvem o empreendedorismo, com certeza, a abertura da empresa não está entre os problemas principais. Como você já deve ter percebido, mantê-la aberta é um verdadeiro desafio.

Plano de negócios

Antes de estabelecer uma sociedade, é necessário analisar algumas características. Dentre esses fatores, podemos destacar: objetivo, tamanho da empresa, mapeamento operacional e o capital investido. Em poucas palavras, um plano de negócios sólido que permitirá entender suas verdadeiras necessidades.

Por exemplo, se a empresa é carente de capital,  um sócio investidor seria uma boa solução. No entanto, sua principal atitude será sempre estar bem informado a respeito de débitos e créditos.

Sócio ou sócios?

De acordo com o objetivo, caso um único sócio não supra a real necessidade da empresa, é possível expandir a sociedade. Porém, alguns pontos deverão ser considerados, como definir as funções individuais de cada um, com a finalidade de evitar o acúmulo de função e possíveis conflitos.

Autoconhecimento

Além de considerar questões formais como as citadas anteriormente, é preciso analisar a si mesmo e definir a própria capacidade de trabalho em equipe . Afinal, esse tipo de situação envolve expor lucros e responsabilidades, bem como dificuldades futuras.

Profissionalismo entre associados

É importante ressaltar que a quantidade de trabalho não determina a participação nos lucros. Então, se alguém detém maior fluxo de trabalho, é possível resolver essa diferença por intermédio da criação de pró- labores.

Além disso, alinhe ambos os propósitos para que aconteçam de forma honesta e clara, evitando que alguma das partes seja excluída durante toda a jornada empresarial.

Definição de funções

Primeiramente, distribua as funções de forma clara, para que nenhum dos sócios sinta que está desempenhando um papel maior, pois esse é um dos principais conflitos que decretam o fim de sociedades que teriam grandes chances para serem duradouras. Afinal, tal fato desperta a superioridade ou senso de injustiça de quem trabalha mais e não é devidamente recompensado.

Previna conflitos

É imprescindível confiar naquele de quem pretende tornar-se sócio, mas nem tudo deverá ser acordado por amizade e confiança. O mundo corporativo vai muito além disso e sabemos que ele só funcionará com segurança jurídica através de um contrato firmado.

Claro que ninguém tem um objetivo para desfazer-se de uma sociedade, mas assim como os casamentos, sócios também podem não durar para sempre. Visto que a convivência profissional difere da pessoal. Por isso, procure um advogado e alinhe tudo em contrato para que nenhuma das partes sejam prejudicadas.

Em caso de falecimento de um sócio

É claro que nenhum sócio deseja considerar essa possibilidade, mas como sabemos, pode acontecer com qualquer pessoa e sem data prevista.

Sendo assim, deverá constar em contrato social informações, como: transferência de ações, ocupação de posto por parte de herdeiros e condições de compra para demais sócios.

Portanto, seja qual for a sua situação, procure sócios confiáveis, que possam te oferecer a segurança e honestidade em momentos importantes, mas que a parceria gere benefícios a todos!

Grupo R&NV Consultoria