Outubro Rosa é quando acontece internacionalmente uma campanha para alertar a prevenção do câncer de mama, assunto muito sério e que precisa de atenção. O câncer de mama acomete uma entre quatro mulheres. Nos tratamentos mais drásticos na luta pela vida, muitas mulheres sofrem com mastectomia (cirurgia de remoção completa da mama), quando não a fazem de forma preventiva por carregarem no gene a alta probabilidade de desenvolverem a doença. Mulheres Guerreiras!

Acho louvável, todo movimento em favor da vida, ver isso nos esportes, até os jogadores “machões” na NFL (Liga Americana de Futebol) usarem adereços cor de rosa, toda a mídia envolvida, atriz, atores, as empresas que fomentam que seus funcionários vistam rosa em determinado dia. Tudo em favor da vida. Mas o Outubro Rosa, com “R” Maiúsculo, deveria também alertar a todos os outros problemas que afetem o “sexo frágil”.

O feminicídio, homicídio cometido contra mulheres que é motivado por violência doméstica ou discriminação de gênero, assunto tão sério que no Brasil virou Lei. Só no primeiro semestre desse ano de 2019, casos dessa magnitude aumentaram em 44%.

No mercado de trabalho, ainda machista, as mulheres sofrem com grande dificuldade para que tenham seus salários equiparado ao dos homens entre os mesmos cargos e funções, sofrem com piadinhas, e preconceito, são raras as que chegam a assumir a diretoria em grandes companhias, quem dirá nas pequenas.

Sem falar na ausência da mulher no cenário político nacional, onde o Brasil ocupa a posição 154º entre 193 países em termos de participação parlamentar feminina, sendo o país latino-americano com pior posição no ranking.

A igualdade de gênero deveria ser tema debatido profundamente todos os dias em nossos meios, homens e mulheres com os mesmos direitos e deveres a fim de construirmos uma sociedade livre de preconceitos e discriminações.

Não podemos ser um país igualitário pelas mesmas vias que aconteceu em Ruanda (África), onde o país passou por fortes mudanças em suas estruturas devido ao genocídio que deixou cerca de 800 mil mortos, sua maioria homens, e por esse motivo as mulheres tiveram que assumir a política, economia e a vida corporativa.

Desejo que esse Outubro Rosa, segue o Outubro das Mulheres, para que todos debatam profundamente temas que deveriam ser tratados como normal em nossas vidas.

Além da Saúde, do Trabalho, da Economia, da Política, Mulheres não se esqueçam de valorizar sua família, seus filhos, todos esses assuntos não são excludentes e assim a vida se completa.

Paz as Mulheres!

Por: RMS

RODOLFO SALVADOR

Empresário | Consultor de Negócios | Fundador 2GT Invest

Nascido no interior de São Paulo, em 1982, Rodolfo Mistieri Salvador é empresário e consultor de negócios. É sócio fundador da 2GT Invest, empresa brasileira voltada para o mercado financeiro, onde exerce cargo de CEO. Possui vasta experiência em planejamento estratégico, gestão de negócios, liderança corporativa e tomada de decisões financeiras. na CBD Group ocupa a função de Diretor de Estratégia (CSO) e desenvolvimento de negócios. Enxerga a política como uma possibilidade concreta e direta de transformação social/ econômica.